Arquivo | janeiro, 2010

3° OBSERVATÓRIO FORA DO EIXO

27 jan

Formalização dos coletivos e ações para unificar e coletar dados dos trabalhos no centro da discussão

Criado a partir da necessidade de um núcleo voltado para pesquisas sobre os temas ligados à cultura independente, trabalhados pelo próprio movimento dentro do Circuito Fora do Eixo, o Observatório Fora do Eixo chega a sua terceira edição com o tema Formalização de Coletivos.

Usando a internet como base de seus trabalhos e na conexão com outros coletivos, esse observatório tem como objetivo orientar a estruturação dos coletivos, implementando uma moeda, coletando trabalhos desenvolvidos pelo Circuito, estimulando a troca de tecnologias sociais e promovendo mais uma frente gestora na rede.

A 3° edição do Observatório acontece entre os dias 27, 28 e 29 de janeiro na sala do Observatório Fora do Eixo a partir das 20h e será dividida em dois grupos: grupos de discussão (GD) e grupos de trabalho (GT).

Os grupos de discussão tratarão dos temas de cunho jurídico, conceitos e teorias que envolvam a formalização e estruturação dos coletivos e modelos de organização.

Já os grupos de trabalho abordarão soluções e sugestões para a Sustentabilidade, com base na coleta dos dados das ações dos coletivos, tanto para a rede como suas próprias.

Mediados por membros do Circuito, os grupos de discussão receberão 3 convidados, com duração de uma hora de exposição mais uma hora de discussão via MSN do Fora do Eixo, além da transmissão via Web Rádio Fora do Eixo. Os temas dos painéis são: As diferentes naturezas jurídicas, Modelos de organizações coletivas e Mecanismos de captação de recursos. Os mediadores recebem as perguntas via freenode e repassam aos convidados. Os grupos de trabalho tem início depois dos grupos de discussão, com duração de duas horas, segmentado em Apresentação do mapeamento dos CNPJ’s do Circuito Fora do Eixo, Implementação da moeda complementar e Fundo Fora do Eixo.

Para saber a programação completa, clique aqui!

O 3° Observatório Fora do Eixo acontece entre os dias 27 e 29 de janeiro, a partir das 20h (horário de Brasilía).

Mais informações:

Massa Coletiva – Núcleo Cooperativo de Comunicação e Cultura

telefone 16 3412-7124
massacoletiva@gmail.com

www.massacoletiva.blogspot.com

Lumo Coletivo – Comunicação

Laura Morgado

telefone: 81 3361-8171
lauralumo@gmail.com
lauralumo@gmail.com

www.lumocoletivo.org.br

Coletivo Catraia

telefone: 68 9984-2692/ 9974-3616

catraiacard@gmail.com

coletivocatraia@hotmail.com

www.coletivocatraia.blogspot.com

Anúncios

E agora a programação Do Grito Rock com as bandas selecionadas nas Prévias!

26 jan

Prévias Grito Rock 23/01/10

Doze bandas se apresentarm neste sábado no palco da seletiva Grito Rock, e ao invés de 4 bandas selecionadas, como estava previsto, 6 bandas foram classificadas.É que assim decidiram os jurados Fabricío Nobre (Abrafin-Mostro Discos-MQN), Nowhah Luiza(Coordenadora do Coletivo Pequi representando o Circuito Fora do Eixo) e Caio Rodrigues ( Representante do Diretor de Cultura Augusto César).

Pelo palco Pequi passaram as bandas Baraque’s Lord, Behind the Horror, Blank Spot, Delatores, Elétrons, Ivan Santana, Lady Lanne, Oréganos, Profunda Raiz, Radio Queish, Trip em Trup e Wastd World. Todas marcaram seu espaço mostrando seu trabalho e garantiram muitos aplausos da platéia, mas apenas seis voltarão a se apresentar nos badalados eventos do Grito Rock 2010.

No final das contas ficamos assim: Trip em Trup e Elétrons de passaporte carimbado, tocam no dia 30 de janeiro no Teatro Municipal de Anápolis abrindo o show de Diego de Moraes e o Sindicato.
E no dia 06 de janeiro (que era o mais almejado pelas bandas) : Lady Lanne que acertou na escolha da música “Beer is Good but tequila is Faster” garantindo uma vaga e também um comentário no Twitter de Fabricio Nobre.

Profunda Raiz, que encerrou a noite animando a galera que dançou durante toda apresentação e cantou junto com eles a música “Chuva Pouca”, mostrando que apesar da reformulação de integrantes a pouco tempo a banda continua crescendo e ganahndo destaque na cena anapolina.
E como não podia faltar na boa e velha Anápolis Metal, seus atuais mais dignos representantes Behind the Horror e toda performace do baterista.

Fechando a grade das bandas selecionadas, uma banda que vibrou junto com público ao saber o resultado, Radio Queish que não atoa foi classificada, pois de todas as 12 atrações, sem dúvida foi uma das mais prestigiadas, sobretudo pela moçada, o público mais jovem que esteve presente.
Parabéns para todas!

Radio Queish agitando o público das Prévias

Segue a programação completa Grito Rock América do Sul Anápolis!

Sábado dia 30 de Janeiro Teatro Municipal

Trip em Trupe 20:00
Elétrons 20:45
Diego de Moraes e o Sindicato 21:30

Entrada R$ 10,00 e Meia entrada R$ 5,00

Sábado dia 06 de Fevereiro Na Praça Dom Emanuel
A partir das 14 horas

Profunda Raiz
Radio Queish
Behind The Horror
Lady Lanne
Snorks (MT)
Ultimato (RO)
Jhonny Suxx and Fuking Boys (GO)
Novos Vinis
Evening
Boddah Diciro (TO)
Porcas Borboletas (MG)
Macaco Bong (MT)

I Semana Digiarte e Software Livre

26 jan

Semana de Arte, tecnologia e software livre promete agitar Anápolis/Goiás

Inscrições abertas até sexta-feira, dia 29

A “I Semana Digiarte e Software Livre”, será realizada do dia 1º de fevereiro a 05 de março, na Sede do Pontão de Cultura Tenda Jovem/Diretoria de Cultura de Anápolis, à praça Bom Jesus nº 101, Centro. Trata-se de um evento de caráter técnico, político, social e artístico sobre software livre e sua utilização, é uma realização do Pontão de Cultura Tenda Jovem, sob a tutela da Prefeitura Municipal de Anápolis e da Diretoria de Cultura do Município..

A intenção do evento é reforçar os conceitos de software livre, como o Linux, e fomentar sua utilização partindo do preceito de inclusão digital para o uso de softwares para produções em tecnologia da informação direcionada às artes, sobretudo ao audiovisual. Desta forma, estará estimulando as produções do gênero e oferecendo visibilidade aos diversos segmentos, como o próprio fazer cinematográfico, teatro, danças populares, música, artes plásticas, dentre outros.

A programação da “I Semana Digiarte e Software Livre” foi pensada de forma bem abrangente para atender não só aos profissionais direta e indiretamente ligados às artes, mas a toda comunidade em seus mais diversos níveis de conhecimento e provocar o debate das políticas de uso de software livre e suas conseqüências para a formação de uma rede realmente autêntica que possa beneficiar a todos inseridos num processo social inclusivo e atuante.

Com o estímulo do uso e do desenvolvimento do software livre e dos códigos abertos, torna-se possível investir na produção e na qualificação do conhecimento pela ótica do desenvolvimento sustentável e do conceito que delineia a inclusão social, tendo todos igualdade de acesso aos avanços tecnológicos.

A maior preocupação do evento é promover a reflexão do público e cumprir a sua principal meta: estimular a adoção e a difusão do software livre como ferramenta de trabalho para promoção da cultura e da arte, além de promover as interações sociais entre as diversas classes, através de softwares que permitam a difusão das idéias e das manifestações populares.

Semana reúne esforços

A “I Semana Digiarte e Software Livre, realização do Pontão de Cultura Tenda Jovem da Diretoria de Cultura de Anápolis, conseguiu reunir esforços de diretorias do Município, como o Centro de Processamento de Dados, Ciência e Tecnologia. O DGT, Diretoria de Gestão Tecnológica (CPD) da Prefeitura estará realizando transmissão ao vivo do evento com a equipe do Tenda Jovem. Desde semana passada, profissionais do departamento se reúnem quase diariamente com a equipe do Pontão para detalhes técnicos, como a utilização de softwares livres para streaming, câmeras a serem utilizadas, cabos, conectores, sinais digitais em banda larga, dentre outros.
A Diretoria de Ciência e Tecnologia também dispôs de pessoal qualificado para colaborar na semana, como palestrantes e profissionais na área de informática. O diretor de Ciência e Tecnologia, Fabrízio de Almeida Ribeiro, será um dos palestrantes do evento. Estará na Roda de Prosa discutindo o tema “Anápolis Digital: Democratizando o Acesso à Internet”.

Mário Sérgio Moreira, diretor do DGP comenta que o evento é de grande importância para Anápolis e que está levando a Semana para ser discutida como gestão de projetos – transmissão streaming ao vivo – no IGPF, Instituto de Gestão Tecnológica Farmacêutica.

Oficinas despertam interesse na comunidade anapolina

A programação da “I Semana Digiarte e Software Livre” tem chamado a atenção da comunidade Anapolina. Além das Rodas de Prosa – espécie de apresentação de palestrantes e discussão após o término da explanação – as oficinas são um atrativo à parte por contemplar a inclusão digital na prática, iniciando o leigo em assuntos até então nunca vistos ou praticados, como “Iniciação ao Software Livre: Linux”, “Captação e Edição de Vídeo e Áudio”, “Capturas Analógicas em Áudio e Vídeo/Digitalização de Imagens e Som, “Quebra de Padrões Visuais, e oficinas artísticas, como “Boi Cru” (Bumba meu Boi), “Sambada de Coco”, dentre outras.
As oficinas a serem oferecidas à comunidade terá uma taxa simbólica ao preço de R$ 3,00, para custeio com despesas advindas da Semana. Para as Rodas de Prosa não será cobrada taxa, mas os participantes deverão realizar inscrição até dois dias antes do evento através do site do Pontão de Cultura Tenda Jovem ou pessoalmente na sede do Tenda Jovem/Diretoria de Cultura, à Praça Bom Jesus nº 101, Centro.

Dia do e-Lixo: uma ação em prol da natureza

O Dia do e-Lixo é uma ação da “I Semana Digiarte e Software Livre”, evento do Pontão de Cultura Tenda Jovem, sob a tutela da Diretoria de Cultura de Anápolis e da Prefeitura Municipal. Trata-se de uma campanha de estímulo a diversas frentes, como a limpeza da Cidade, a conscientização ambiental, a geração de renda, a criatividade e a inclusão digital. O Dia do e-Lixo está marcado para cinco (05) de fevereiro e a organização do evento espera unir esforços com o município, entidades patronais, sindicatos, associações, ONGS, empresas e a sociedade civil para o empreendimento.

A ação compreende estimular a todos para que doem computadores não-utilizados, memórias, peças periféricas como teclado, mouse, gabinete, cabos, conectores, dentre outros. O material a ser recolhido pelo Pontão de Cultura Tenda Jovem terá destino certo e garantido.

O Pontão realiza, dentre outras atividades culturais, oficinas de inclusão digital voltadas à comunidade em geral, com foco prioritário aos jovens de 13 a 29 anos das classes C, D e E. “Com os computadores ou restos deles a serem doados teremos a possibilidade de ampliarmos a demanda das oficinas àqueles que ainda se vêem exclusos do processo das novas tecnologias”, diz Edson Nuno, titular de Audiovisual e Inclusão Digital do Tenda Jovem e idealizador da Semana. “ Utilizando o material a ser doado, poderemos ampliar o leque de oficinas e oferecer modalidades que gerem renda, como recondicionamento das máquinas ou criações de peças de arte, construções de aparelhos robóticos tanto para entretenimento como para várias outras utilidades, além de oficinas de aproveitamento de diversos materiais, como os metais leves, o ouro e o diamante presentes na engenharia dos computadores”.

Confira programação em breve no sítio: http://www.cultura.anapolis.go.gov.br/pontodecultura

Campanhas do Circuito Fora do Eixo para o Grito Rock 2010.

25 jan

Confiram as vinhetas.

Transmita seu Grito Rock

Hospedagem Solidária
http://www.youtube.com/webtvforadoeixo#p/a/u/2/g1B3yWtrPlE

Monte sua Banquinha

Faça o tec do Grito Rock

Transmissão de rádio

Bandas Classificadas para as Prévias Grito Rock!!

19 jan

O Coletivo Pequi encerrou as inscrições para as prévias do Grito Rock na noite da última sexta feira dia 15/01. Foram recebidas mais de 20 inscrições dos mais diversos estilos musicais e foi uma árdua tarefa para a comissão examinadora calassificar apenas 12 bandas para tocar nas Prévias do Grito Rock!

As músicas inscritas mostraram a riqueza e a diversidade da produção musical feita na cidade. Isso comprova que estamos no caminho certo em busca de fomentar a cena autoral anapolina!

Àqueles classificados para a próxima etapa fica os parabéns e o desejo de boa sorte na Prévia Seletiva !! Para aqueles que não foram classificados informamos que na medida do possível buscaremos encaixá los em nossos eventos , já que nossas ações não são isoladas , mantendo assim a continuidade! Informamos ainda que todos os dados das bandas inscritas foram adicionadas ao nosso banco de dados e a qualquer momento entraremos em contato com todos vocês!

O Coletivo Pequi agradece todas as bandas inscritas, pela confiança depositada em nosso trabalho e desejamos sucesso na sequência de seus trabalhos!!!

As 12 bandas classificadas foram (em ordem alfabética):

-Baraque’s Lord

-Blank Spot

-Behind the Horror

-Delatores

-Elétrons

-Ivan Santana

-Lady Lanne

-Oréganos

-Profunda Raiz

-RH Positivo

-Trip em Trupe

-Wasted World

Circuito Fora do Eixo apresenta: Grito Rock América do Sul 2010!

14 jan


A maior rede colaborativa de trabalho no mercado independente do Brasil apresenta o maior festival integrado da América Latina, que esse ano ocorre em 70 cidades

De 2005 – ano de criação – pra cá, o Circuito Fora do Eixo só tem crescido. O trabalho colaborativo se mostrou ser a saída para que o mercado independente deslanchasse. E esse crescimento fica explícito nas produções dessa rede, tais como o Congresso Fora do Eixo (que este ano é realizado no Jambolada), O Observatório Fora do Eixo e um dos maiores eventos que acontece no Brasil – o Festival Integrado Grito Rock.

E este ano o o crescimento continua – em 2009 cruzamos a linha de 50 cidades e este ano o festival acontece em 70 cidades, mantendo assim o título de maior Festival Integrado da América Latina, já que além dessas, mais quatro cidades fora dos limites tupiniquins realizam o Grito – Buenos Aires (Argentina), Córdoba (Argentina), Montevidéo (Uruguai) e Santa Cruz de La Sierra (Bolívia).

Entre as cidades brasileiras estão Rio Branco (AC), Uberlândia (MG), Santa Maria (RS), João Pessoa (PB), Recife (PE), Fortaleza (CE), entre outras. Os coletivos responsáveis estimulam assim a auto gestão das bandas, já que com tantas cidades cadastradas, as bandas vêem no GR a oportunidade de planejar sua própria turnê.

O Grito Rock nasceu como a alternativa movida a guitarras contra as marchas de carnaval, e hoje se tornou um dos eventos com o line up mais diverso do país. Para que aconteça, ele envolve vários membros da cadeia produtiva, sejam músicos, jornalistas, produtores, videomakers, atores, profissionais do meio hip hop, entre outros vários.

Toque no Brasil – Com o crescimento veio também a inovação. Em parceria com a Abrafin – Associação Brasileira de Festivais Independentes, Casas Associadas e BM&A, o Circuito Fora do Eixo lançou no dia 05 de janeiro o site Toque No Brasil, um cadastro virtual de bandas interessadas em rodar pelo circuito independente do país. O projeto é uma iniciativa pioneira no Brasil e tem como meta propor um novo conceito de agendamento de shows, circulação de artistas e turnês baseados em uma plataforma 100% virtual em sua negociação, que garantirá o mapeamento e acesso de artistas a circuitos e rotas brasileiras, construídas a partir da colaboração e contato direto dos usuários do sistema. O Grito Rock 2010 é o primeiro evento a fazer uso desta ferramenta, que promete ser a via mais eficiente de acesso ao universo de festivais e casas referenciais de cultura alternativa. Qualquer banda interessada em participar do Grito Rock – em qualquer cidade onde o festival for acontecer – deve fazer sua inscrição, até o dia 15 de janeiro, no http://www.toquenobrasil.com.br

Amplitude – Os coletivos integrados ao Circuito Fora do Eixo – bem como uma série de parceiros cujo trabalho dialoga com a lógica colaborativa do CFE – estão preparando para 2010 a maior edição do Grito Rock. O festival, que expressa muito bem a prática de trabalho em rede proposta pelo Fora do Eixo, cada vez mais se firma como uma ação multiplicadora, conectando agentes culturais de todas as regiões do Brasil e intensificando o elo com os vizinhos hispano-americanos.
Música, cinema, teatro e artes visuais se encontram, revelando toda a diversidade da cultura produzida no âmbito da independência.

Sobre Ontem, Hoje e Amanhã – dialética no processo de fortalecimento

14 jan

Foto do Circuito Fora do Eixo no II Congresso Fora do Eixo

Estamos chegando ao fim do ano mais estimulante e desafiador dessa grande rede nacional que é o Circuito Fora do Eixo. O quarto ano de luta, articulação, correria, comprometimento, razão/paixão, foco, diversão, erros, acertos, conquistas, perdas e todas as demais dialéticas que um movimento como o nosso pode proporcionar, pessoal, comportamental e estruturalmente. Foi o ano onde cada um de nos se transformou em ponto fora do eixo, assumindo uma forte responsabilidade de nos representar em suas cidades, em seus estados e em suas regiões. Fator este que ajudou muito para que todos se percebessem dentro da historia toda, criassem seus respectivos lastros, suas autonomias e que contaminassem pouco a pouco todo o circuito com o tempero de cada um, com as particularidades de cada pessoa e de cada coletivo.

Saímos de pouco mais de 20 coletivos no inicio do ano e estamos fechando a tampa de 2009 com quase 50. Saímos de uma perspectiva de se montar regionais e finalizamos com 5 regionais solidas e em constante dialogo propositivo. A regional Nordeste, começou o ano com apenas um coletivo, hoje são nove, só faltando o Piauí e o Maranhão. A sudeste crescendo absurdamente com destaque para os estados de minas e São Paulo. A Norte só falta o tocantins para fechar a tampa. A centro

oeste fechou a tampa com destaque para o FDE goias. A Sul é a nossa caçula, mas com tanto potencial de crescimento quanto as outras. Conseguimos também viabilizar redes estaduais, com destaque para o Fde Minas e o Fde Goias, dialogando fortemente com as cidades do interior e ditando a tendencia organizacional para os outros estados em 2010.

Ano em que organizamos o Grito Rock America do Sul em 50 cidades do pais, preparando o terreno para os quase 80 gritos que serão realizados em 201a0. Ano em que nossos festivais se fortaleceram ainda mais, Calango, Jambolada, Varadouro, Contato, Quebramar, Novas Tendencias, Pequi, Release Alternativo, Vaca Amarela, Goma Festival, Seda, Feira da Musica de Fortaleza, Ponto CE, Fogo No cerrado, Maionese, Big Bands, Boombahia, entre vários outros.

Ano em que mais de 100 Noites Fora do Eixo Foram realizadas nos mais distantes pontos do país. E que tivemos clareza que não circulamos apenas artistas, jornalistas e produtores , circulamos conhecimento. A economia do Conhecimento gerada pelo FDE é o que nos move nessa batalha, é o que financia nosso BANCO de Estimulo e é o que gera as receitas para o posterior investimento em nosso BANCO do Futuro. Nosso CAIXA COLETIVO é nossa troca de tecnologia, de conhecimento e de estimulo. Ressignificamos a intangibilidade desses conceitos e os transformamos em combustível, material, tangível e altamente explosivo. Transformamos varias ideias e ideais em inteligência coletiva. Valorizamos o processo em detrimento do produto, os Valores em detrimento dos interesses. O indivíduo em detrimento do individualismo. O comportamento em detrimento do mercado.

Ano em que definitivamente pautamos a construção de um sistema nacional de musica independente, transformando coletivos, festivais e casas em uma força política una e umbilicalmente conectada, representadas pelas suas respectivas entidades/movimentos: CFE, ABRAFIN E CASAS ASSOCIADAS. Sistema este que capitaneou e organizou o surgimento da Rede Musica Brasil. E onde tudo começou? Em uma reunião do CFE em recife durante o Porto Musical, contando também com a presença dos parceiros de primeira ordem do MPB-Musica pra baixar e do Fórum Nacional da Música. Rede esta que fez varias reuniões durante o ano e em todas o CFE foi o movimento com o maior numero de participantes, canalizando tudo isso para a realização das Assembleias setoriais da música, coordenada na maioria dos estados por facilitadores do CFE, deixando claro o quão somos hoje o movimento cultural com maior musculatura nacional.

E alem de estrutural/politicamente contribuímos e muito esteticamente. Varias de nossas bandas citadas como revelações de 2009, como apostas para 2010. Ano onde o conceito de Artista Igual pedreiro, defendido fortemente pelo CFE virou um meme nacional, estando este no discurso de 8 a cada 10 bandas que gerenciam bem suas carreiras atualmente. Onde a Agencia Fora do Eixo tomou corpo e conquistou credibilidade suficiente para atrair bandas fora CFE, produtores, jornalistas e etc. Ano em que ficou ainda mais claro que nossa proposta de circulação de bandas novas e com pouca experiência não são cotas política e sim métodos de fortalecimento dos cenários locais, de troca de experiências e de circulação de conhecimento. Bandas novas que saíram para rodar a três anos atras hoje são lideranças fortes em seus coletivos contagiadas pelo banco de estimulo.

Ano em que potencializamos ainda mais nossas rotas, podemos hoje sair de fortaleza e chegar ate rio branco no acre, com 22 shows em 24 dias com somente dois day offs. Sem falar no nordeste, em minas, ou no centro oeste onde podemos rodar varias cidades durante vários dias sem day off nenhum. Fizemos juntos mais de 600 eventos no ano, colocando aproximadamente 2 mil bandas diferentes para se apresentar ou mais especificamente uma media de 8 mil artistas. E preparamos o terreno para mais um ousado projeto capitaneado pelo CFE em parceria com abrafin, Casas e BMA que é o TOQUE NO BRASIL. Que como todos ja sabem, vai auxiliar para que estas mais de 2 mil vagas para shows disponibilizadas pelo CFE mais as vagas em festivais e vagas nas casas possam ser viabilizadas em poucos cliques em um único site. Fazer um site como esse é fácil, difícil é ter as vagas a serem disponibilizadas e com certeza ninguém tem mais lastro que o CFE nesse sentido.

Ano onde a Fora do Eixo Discos realmente achou seu caminho. Desde o inicio do CFE em 2006, tínhamos três premissas principais de trabalho. 1- Circulação 2- Distribuição e 3- Produção de conteúdo. A primeira e a ultima caminharam de vento em popa, e a segunda nunca conseguia

engatinhar. Durante os três primeiros anos sempre foi nosso gargalo, mais complicado de se resolver e nem estou falando que resolvemos completamente, mas com certeza absoluta temos um Norte. Temos o compacto.rec, temos banquinhas em vários coletivos, temos lojinhas, vendas na intenet etc..Uma equipe focada, dedicada, que esta pouco a pouco estudando cada ponto, para entregar no fim de 2010 uma distribuidora que consegue vender/distribuir produtos em mais de 50cidades brasileiras. Difícil quem tem isso a oferecer nos dias de hoje!

Ano em que a nossa equipe de comunicação avançou absurdamente, produzindo mais de três centenas de matérias para o portal, formando correspondentes em quase todos os estados do pais. Onde nossa web radio se tornou uma realidade, ocupando vários espaços, transmitindo festivais ao vivo, reuniões, seminários e construindo uma rede de web rádios e poadcasts pelos coletivos. Onde nossa web tv também deu vários passos, fortalecendo e muito o Audivisual dentro da rede, e canalizando isso em uma grande celebração na SEDA onde a maioria dos agentes do audiovisual do cfe estiveram presentes pensando o planejamento para 2010, sem falar nas experiências bem sucedidas de transmissões ao vivo dos festivais e também das varias twitcams que rolaram por ai. E tudo isso desembocando na lançamento de nossa rede social que em breve estará no ar, deixando nossos trabalhos ainda mais dinâmicos e nossa inteligência coletiva disponibilizada facilmente para todos os que se interessarem.

Ano em que ganhamos o prêmio de mídias livres, onde ganhamos o prêmio do observatório, onde alguns coletivos se transformaram em APLs (Arranjos Produtivos Locais) e pontos de cultura. Onde somente o Fde minas, por exemplo, conseguiu aprovar mais de um milhão de reais em projetos de lei de incentivo no estado. Em que alguns coletivos movimentaram mais de milhão de reais e que todos os nossos coletivos juntos movimentaram aproximadamente 10 milhões de reais, contando festivais, eventos, casas e a sustentabilidade dia a dia de cada coletivo e de cada integrante de coletivo, aluguel, alimentação, transporte, roupa, remédio, etc, etc e etc. E o mais bacana, democratizando todas as planilhas, dando acesso a todos os números. Foi o ano onde muitos coletivos aderiram ao TEC e disponibilizaram todos os seus dados., não existem segredos em nossa

CULTURA LIVRE. Fora do Eixo tec é nosso DNA, escancarado. E tudo isso amparado por uma equipe de sustentabilidade que nos apresentou um programa solido de estruturação da rede. Elaborando projetos, participando de editais, sistematizando os relatórios e preparando o terreno para a criação de uma possível Fundação Fora do Eixo, que trabalhara entre outras coisas para fortalecer e muito nossa relação com os fundos internacionais em 2010.

Ano em que colocamos a Economia Solidaria na agenda de prioridades do debate na cadeia produtiva da musica, onde nossas moedas complementares se ampliaram e muito. Vários coletivos implantando seus cards, outros ja mapeando suas planilhas com a intenção também de desenvolver sus moedas, o poder publico investindo no desenvolvimento das moedas, os artistas , jornalistas e demais produtores digerindo melhor o sistema de credito, os coletivos fde entendendo mais a proposta e indicadores e mais indicadores produzidos e sistematizados . Ano em que o Fora do Eixo Card foi utilizado de exemplo bem sucedido eme eventos na china, Japão, Espanha, Angola,

Argentina etc e que o FDE recebeu convites para apresentar esse modelo em todos esses países em 2010. E que ficou muito claro que nossas praticas não são de coletivos de música e sim coletivos de Tecnologia Social e de comportamento.

Ano de nosso segundo congresso, no acre, na vibe do acre, no melhor lugar possível para transformarmos os avatares em pele e osso. Um momento único dessa nossa jornada, onde nos encontramos , onde construímos nossa carta de princípios e nosso regimento interno/estatuto/pacto nacional. Documentos esses que estão em fase de maturação, que se desenvolve conforme o nosso desenvolvimento, que amadurece conforme a nossa maturidade e que nada mais é que um espelho, um reflexo dessa nossa inteligência coletiva. Será sempre difícil para nós fecharmos definitivamente nossos documentos, já que somos mutantes, nos ressignificamos a cada nova adesão, a cada novo tópico na lista, a cada encontro presencial. Nos descobrimos como uma grande zona autônoma temporária, que contamina e migra. Uma organização verdadeiramente horizontal, com núcleos decisórios descentralizados, cada ponto, cada estado e cada região com autonomia total , transformando em prática a perspectiva do rizoma.

Milhares de outras coisas aconteceram em 2009, gostaria de citar cada impressão sobre os coletivos, cada detalhe, cada pequeno levante realizado, mas acho bacana que todos vocês complementassem isso tudo, relatassem suas impressões, lembrassem de de outras ações e escrevessem tudo aqui, em nosso banco do presente.

2010 já chega voando, diversos projetos acontecendo , grito chegando, Toque no brasil sendo lançado, reunião das regionais, assembleias setoriais, tudo ao mesmo tempo agora. Do jeito que a gente gosta . Hoje resolvi falar de ontem, porque são as praticas deste ontem é que nos mostram que o Amanhã sera sempre o nosso HOJE , o nosso AGORA. Nosso espaço/tempo é o mesmo do Bolt………. mãos a obra!